Carpaccio Cítrico com Iogurte e Granola



Continuamos com os citrinos da época. Do pomar as laranjas, e de mãos amigas as toranjas. Um carpaccio de fruta para começar o dia, para um pequeno-almoço cheio de cor. Mas se preferirem, podem servir como sobremesa. Vai saber bem a qualquer altura do dia. Traz um bocadinho de sol a estes dias frios e cinzentos. E transforma simples peças de fruta em estrelas à mesa.

A ideia veio do livro "Cru - Carpaccios, Tártaros e Ceviches" da Inês Simas. Recebi o livro como prenda de natal, também ele veio de mãos amigas. E gosto tanto! Até agora aventurei-me só em ceviches, e já tenho um de salmão e morangos marcado para fazer quando for época deles. A ideia dos carpaccios de fruta é tão boa e super simples. Como diz a Inês "pratos cheios de pinta, cuja simples mudança lhes dá outro sabor."

A fruta em rodelas fininhas, salpicada de iogurte natural e granola caseira. Uns pedacinhos de hortelã a perfumar e está feito. Há sabor, há textura, há cor e alegria num prato. Porque uma laranja pode sempre ser mais que uma laranja. E os olhos adoram comer. 
Enquanto esperamos pela primavera, vamos brincar com o sol à mesa.







Carpaccio Cítrico com Iogurte e Granola

2 laranjas em fatias finas
2 toranjas em fatias finas
1 iogurte grego natural
5 folhas de hortelã picadas
3-4 colheres (sopa) de granola

Granola:
400 gr de flocos de aveia
100 gr de puré de maçã
50 gr de sementes de sésamo, girassol e de abóbora
10 nozes picadas
10 amêndoas laminadas
3 colheres (sopa) de água
3 colheres (sopa) de mel
2 colheres (sopa) de passas de uva


Preparação

Preparar a granola, colocando os ingredientes todos (excepto as passas) numa taça e misturar com as mãos. Colocar num tabuleiro com papel vegetal, bem espalhada e levar ao forno pré-aquecido a 180ºC, durante uns 30 minutos ou até ficar dourada, com o cuidado de ir mexendo de 10 em 10 minutos. Deixar arrefecer totalmente e adicionar as passas, colocando num fraco hermeticamente fechado.
Para o carpaccio, descascar as laranjas e toranjas, cortar em fatias bem finas e espalhar num prato ou travessa. Regar com o iogurte, com a ajuda de uma colher. Salpicar com a granola e espalhar as folhas de hortelã picadas. Servir.

Bom Apetite!





Bolo de Coco e Tangerina


Estamos em época de citrinos. Uma das coisas que adoro na estação do frio. Ver o pomar carregado de pontos laranja e amarelos. A brilhar no meio do verde. Nas árvores que contam histórias, que se prolongam da porta de nossa casa até ao fundo do pomar. São as árvores dos meus avós. Que cresceram com eles e comigo. Onde tantas vezes brinquei quando era pequena, no meio da terra molhada. Onde me sinto perto das minhas raízes. E de quem sou.

Das melhores coisas, apanhar fruta na hora e comer ali debaixo das árvores. Nestes dias frios mas cheios de sol sabe tão bem ir lá fora e apanhar laranjas, tangerinas, limões. Trazer para dentro e encher a fruteira. Ficar com as mãos a cheirar a citrinos. Adoro o perfume da fruta. E o forno também. É quase um ritual nesta altura do ano, preparar um bolo com o perfume dos citrinos. 
O escolhido para um destes domingos foi o bolo de coco e tangerina da minha amiga Susana do Basta Cheio. Um bolo sem açúcar refinado, sem glúten e sem lactose, para um Janeiro que se quer mais leve, mas cheio de sabor.






Bolo de Coco e Tangerina
(receita adaptada do Basta Cheio)

4 ovos
6 colheres (sopa) de maple syrup
75 ml de azeite suave
50 gr de farinha de amêndoa
50 gr de farinha de coco
50 gr de coco ralado
1 colher (chá) de fermento
1/2 colher (chá) de canela em pó
2 tangerinas

Calda:
2 tangerinas
1 pau de canela
1 colher (chá) de mel

Coco ralado para polvilhar


Preparação 

Pré-aquecer o forno a 180ºC. Untar uma forma de bolo inglês pequena e forrar o fundo com papel vegetal antiaderente. Reservar.
Numa taça colocar os ovos, o maple, o azeite, farinhas, coco, fermento, canela e a raspa de duas tangerinas e o sumo de uma. Bater a massa até ficar uniforme.
Colocar na forma preparada e alisar a superfície. Levar ao forno até cozer (teste do palito), por uns 30 minutos. 
Entretanto aquecer o sumo de duas tangerinas com o pau de canela e o mel até homogéneo, e depois de retirar o bolo do forno picar com um garfo e espalhar a calda ainda morna para absorver.
Desenformar ao fim de 10 minutos e decorar com coco ralado.

Bom Apetite!










Risotto de Peru com Grelos



Do pouco se faz muito. E das sobras de comida faz-se sempre muito mais. Há sempre pratos novos à mesa com o que fica da refeição passada. Reaproveitar, reciclar e não desperdiçar.
Desde pequena que aprendi que não se deita comida fora. Vi sempre os meus avós e pais a guardarem as sobras do que se cozinhava para comer depois, e até muito do que não se aproveitava para o prato em si, como cascas e talos de legumes ou fruta iam para as galinhas e porcos.
Sempre vi em casa, na horta, no quintal e na nossa cozinha, um equilíbrio perfeito. O que cresce na terra sem produtos químicos, as galinhas do campo com ovos felizes, o sabor dos alimentos de cada estação, o ver crescer algo que se planta, o amadurecer da fruta na árvore a seu tempo, o valorizar o que vem da terra e levamos à mesa, o não desperdiçar nada na cozinha, e os pratos de conforto que acompanham cada dia e cada época.

No natal a nossa mesa é farta, em comida e alegria. E mesmo dizendo todos os anos que vamos fazer menos, acaba sempre por haver imensas sobras. Mas nada se perde, tudo se transforma à mesa. É esse o lema, nada de desperdícios. 
É o caso do peru de natal, que sobra sempre. Congela-se para mais tarde dar-lhe uma nova vida. Como nesta receita. Um risotto bem simples, que ganha um ar de prato novo. Ao peru juntam-se grelos já cozidos, que nesta altura do ano abundam, e fazemos sempre a mais para depois saltear com alho e azeite ou para um esparregado. Ou neste caso para um risotto. Um prato cheio de conforto para estes dias de inverno. 
Esta receita faz parte de um artigo que desenvolvi para a edição de Janeiro da revista Máxima, onde podem encontrar mais duas boas ideias do que fazer ao peru que ainda tenham no congelador. São receitas simples e económicas, sem desperdícios. Espero que gostem e aproveitem bem as vossas sobras.





Risotto de Peru com Grelos

1 fio de azeite
1 dente de alho picado
1/2 cebola picada
1 chávena de arroz para risotto
1/3 chávena de vinho branco
1,5lt de caldo de legumes
2 chávenas de peru assado desfiado
1 chávena de grelos cozidos picados grosseiramente
parmesão ralado q.b.


Preparação 

Colocar o caldo de legumes ao lume, mantendo bem quente durante a preparação do risotto.
Num tacho aquecer um fio de azeite com o alho e cebola picada até esta ficar mole e translúcida.
Adicionar o arroz e mexer bem, durante uns dois minutos. Juntar depois o vinho branco, mexendo sempre, até o líquido evaporar. 
Em seguida começar a adicionar o caldo de legumes, concha a concha, só a quantidade necessária para cobrir o arroz. Ir sempre mexendo até o arroz absorver o caldo. Adicionar mais caldo à medida que for necessário, sempre a mexer o arroz. Quando estiver quase cozido juntar o peru e os grelos e deixar cozinhar por mais dois minutos.
Retirar do lume e juntar queijo parmesão ralado a gosto, envolvendo suavemente.
Servir imediatamente, com mais queijo ralado.


Nota 1: não coloco sal na receita, porque a carne acaba por lhe dar sabor e tempero, assim como o caldo e o queijo parmesão.
Nota 2: aproveitem outras sobras de legumes e adicionem ao risotto, e podem também usar a ideia da receita para sobras de frango assado ou enchidos.
Nota 3: no final da preparação do risotto podem adicionar uma colher de chá de manteiga ao mesmo tempo que o queijo parmesão, envolvendo no arroz, tornando ainda mais cremoso.
Nota 4: para fazer um caldo de legumes caseiro eu junto numa panela bastante água, uma cenoura grande cortada e a sua rama, uma cebola cortada, um talo de alho francês cortado, alguns grãos de sementes de coentro, mostarda e pimenta, uma folha de louro e algumas ervas aromáticas (salsa, tomilho) e deixo ferver pelo menos meia hora a uma hora. Depois coar e está pronto a usar. Também o podem congelar.

Bom Apetite!